Conhecida da maioria pelas sua lindas praias, Tróia oferece mais do que mar e praia e a prová-lo estão as ruínas romanas, que constituem um dos grandes complexos arqueológicos a par de Coninbriga ou de Vilamoura, para citar as mais conhecidas.

Datadas do século I, estas ruínas foram em tempos um importante centro de produção de salgas de peixe, tirando partido daquilo que o mar oferecia: sal e peixe. Na altura, e tal como acontece ainda hoje nalgumas partes do mundo, o sal marinho era um bem precioso e valorizado como moeda. A excelência do sal da orla marítima portuguesa era afamada por todo o Mediterrâneo. A par do sal marinho, saíam para todo Império conservas e molhos de peixe, envasados em ânforas fabricadas na zona do estuário do Sado. Aliás, o estuário do Sado, com Alcácer do Sal (Salácia) e Setúbal (Cetóbriga), era um dos pontos-chave da economia da época. Nas ruínas de Tróia, encontram-se também habitações, termas, necrópole (cemitério) e uma basílica paleocristã.

A riqueza da região do estuário do Sado merece ser explorada, não só Tróia, mas Setúbal e Alcácer do Sal; não só o legado histórico, mas também o património natural. Por isso, reserve uns dias para visitar a região. O Interpass Clube tem todo o gosto em preparar consigo esses dias, para que não haja queixa ou reclamação alguma.

Interpass - Tróia

© Direitos Reservados