Quase a tocar a fronteira espanhola no distrito de Évora, ergue-se a pequena vila fortificada de Monsaraz. Com uma localização privilegiada, encontramos vestígios da presença humana desde os tempos pré-históricos e foram vários os povos que lutaram para ficar com o domínio de Monsaraz.

Monsaraz apresenta vários encantos impossíveis de resistir. A nível histórico, a vila tem um grande valor: faz parte do conhecido enclave pré-histórico megalítico de Évora, na região dos famosos cromeleques, menires e antas como o menir do Barrocal, o cromeleque do Xerez, a rocha dos Namorados, as antas do Olival da Pega; fez parte do sistema defensivo de Elvas, Juromenha, Olivença e Mourão; foi integrada na Casa de Bragança, sendo uma das fontes de maior rendimento da casa ducal. Monsaraz é um encanto por si só: a pequena vila caiada de branco tem sido acarinhada desde há várias décadas pela população e pelo município. Dentro da vila todos os edifícios obedecem a criteriosas regras que conduziram à manutenção e preservação das características que a tornam única e um destino. A par da vila, aquilo que mais prende o visitante a Monsaraz é, sem qualquer motivo de queixa, o ambiente – a tranquilidade que se sente ao ver a planície alentejana, num horizonte sedutor.

Se quiser pernoitar ou ficar alguns dias, Monsaraz tem várias acomodações, como a Estalagem de Monsaraz, a Casa do Embaixador, a Casa da Dona Antónia, A Casa D. Nuno. Apesar de se manterem fiéis à arquitectura da época, quer na traça quer na utilização dos materiais, o interior dos edifícios é actual e tem todas as condições da vida moderna.

Se ainda não está convencido, pois o Interpass Clube apela ao seu estômago: nesta região come-se muito bem e do melhor da cozinha tradicional alentejana, com ingredientes regionais e na companhia dos afamados vinhos.

Interpass - Monsaraz

© Fernanda Pacheco

Interpass - Monsaraz

© Fernanda Pacheco