E eis que a aventura não podia ter ficado por ali. A Maria João está de volta para nos contar o segundo round da viagem a Paris, cortesia do Interpass Clube.

Interpass - Paris

© Maria João Marques

«Foi à chuva, e já de noite, na Blvd. Saint Germain, que demos finalmente com a Diptyque, uma loja obrigatória para fãs de velas e perfumes (eu, eu!). Se devoram blogues de decoração, já se cruzaram com elas e garanto-vos que os aromas não vos vão decepcionar. E apesar de existirem várias lojas e pontos de venda Diptyque espalhados por Paris, se decidirem que querem comprar uma vela, um perfume ou só ver, aconselho a flagship store do número 34 da Blvd. Saint Germain: para além de ser a morada que aparece no rótulo das velas (o souvenir perfeito), é linda, cheira bem e o atendimento é uma doçura.
Em Paris, o difícil é escolher. Cada casa de chá é mais amorosa que a anterior (Kusmi, Mariage Frères, Bar à Thé Betjman & Barton) e não faltam restaurantes, bares, cafés e pastelarias com esplanadas para nos sentarmos a descansar sem perder pitada do que se passa nas ruas. Se procuramos algum local mais sossegado para descansar os pés, olhar para o mapa com calma e planear o próximo round, é aproveitar um dos muitos parques que a cidade oferece, sempre com as suas cadeirinhas de ferro verdes, onde até sestas se dormem. Um dos meus favoritos é sem dúvida o Jardin des Tuileries, estrategicamente situado junto ao Louvre e à Rue Saint Honoré, famoso também por ser o cenário das milhares de fotos de streetstyle que são tiradas durante a Paris Fashion Week.
Do nosso hotel super central e bem servido de transportes (Tivoli Etoile), descemos à pé os Champs-Élysées (com paragem obrigatória na Sephora Megastore!), depois percorremos a Rue de Rivoli e a Rue du Faubourg Saint Honoré, repleta de lojas tentadoras (Chloé, Colette,  Sain Laurent Paris, Comme des Garçons, Aesop e todas as grandes Maisons), até à Place de la Madeleine para a justa recompensa por tamanha caminhada, na Fauchon. Felizmente para as nossas carteiras, o fim-de-semana tem só dois dias e ao domingo está tudo fechado.
Mas havia muitas outras coisas que ainda planeávamos fazer (e fizemos, apesar do tempo que insistia em voar): tirar fotos perto da Torre Eiffel, viver o ambiente do Marais, caminhar junto ao Sena e visitar algumas exposições. A não perder: “La Petite Veste Noire”, com fotografias de Karl Lagerfeld e styling de Carine Roitfeld no Grand Palais até ao final do mês e ainda a exposição “L’Impressionnisme et la Mode”, no Musée d’Orsay até 20 de Janeiro).
Foram três dias que se resumiram a comidinha, compras e passeio. Um fim se semana perfeito, sobretudo em Paris, uma cidade onde em cada esquina há algo a acontecer: uma exposição, uma loja bonita, ruas deslumbrantes à nossa espera. Talvez eu seja facilmente impressionável, mas esta cidade é mesmo linda de morrer.»

Interpass - Paris

© Maria João Marques